Go fly a kite

Go fly a kite

Tradicionalmente, os tibetanos adoravam os concursos de papagaios de papel. Todos os anos organizavam festivais durante o oitavo mês do ano lunar (correspondendo para nós a Outubro/ Novembro), durante os quais havia mesmo lutas entre papagaios. Dizem que o XIIIº Dalai Lama* era um grande apreciador. Há muitos anos atrás, num livro cujo título e o autor eu esqueci, li uma história sobre ele.

Quando era pequeno, o XIIIº Dalai Lama observava as competições de papagaios da sua varanda, no Potala. Fascinava-o que aquelas figuras de papel pudessem subir tão alto no céu, exibindo cores e desenhos maravilhosos. E, quanto mais os observava, mais pensava como era pena que aquele fio, que os prendia ao solo, os impedisse de subir ainda mais e se perderem no imenso espaço azul.

Mas, ele próprio, submetido a uma rígida disciplina de aprendizagem, não tinha tempo para tais divertimentos e, por isso, apenas podia observá-los de longe.

Um dia, porém, teve permissão para participar no jogo. Dos telhados planos do Potala e sob a supervisão dos tutores, o pequeno Dalai Lama, depois de algumas tentativas, conseguiu que o seu colorido papagaio se elevasse no céu. Subiu, subiu, subiu até ao limite do fio. Então, ele achou que estava na hora de lhe dar liberdade, de o deixar subir e desaparecer no céu. E largou a ponta.

Para sua grande desilusão, em vez de continuar a subir o papagaio caiu a pique no meio da praça, longe do seu alcance. Olhou então para o seu tutor, com o  desapontamento e a surpresa estampados no rosto. E este sorriu e disse-lhe:

“É uma lição que não podes esquecer: como os papagaios, para nos elevarmos no céu, temos de ter os pés bem presos na terra.”

* O actual Dalai Lama é o XIVº

Leave a Reply