You are currently viewing O Sr. Ego T1 ep. 7- Quer ser feliz ou quer ter razão?

O Sr. Ego T1 ep. 7- Quer ser feliz ou quer ter razão?

Toda a gente quer ser feliz. Pelo menos é o que dizemos, mas pela forma como nos agarramos às coisas que nos fazem sofrer, até parece que não.

Às vezes conhecemos pessoas perfeitamente simpáticas e amáveis que parecem possuídas por uma força selvagem mal são contrariadas. Quando o ego é confrontado, humilhado ou de alguma forma se sente ameaçado, contrai-se e começa a disparar sobre tudo o que mexe. Entrou em modo de sobrevivência e é o salve-se quem puder. Nessas alturas é completamente impossível chamar alguém à razão ou adiantar seja que argumento for.

Ter razão para o ego é uma questão de princípio e, em nome disso, há quem passe anos com casos em tribunal, com rancores e vindictas, perdendo o sono, a saúde e o dinheiro. Para ouvir dizer “tens razão” há quem esteja pronto a perder tudo, às vezes até a vida.

Mas, até chegar ao desfecho satisfatório (se alguma vez chegar) quanta energia desperdiçada e quanto sofrimento! Se o motivo que nos leva a prosseguir tal empreendimento é porque alguém nos fez mal, por que razão continuamos o trabalho dessa pessoa por mais tempo? Em vez de esquecermos e passarmos à frente, limitando assim o sofrimento ao curto lapso de tempo em que o que quer que seja que aconteceu se produziu, prolongamos indefinidamente a dor que podíamos circunscrever. Em boa verdade, podíamos dizer que o nosso inimigo encontrou em nós o melhor aliado para nos tramar.

Se vamos ainda mais longe e achamos que só teremos descanso quando ele sofrer, isso pode revelar-se bastante difícil de conseguir. E mesmo que o consigamos, qual o preço de uma tal vingança, qual o impacto na nossa vida? O que restará do nosso bem-estar?

Se tudo o que fazemos é, de facto, em nome da felicidade e da paz de espírito porque não abrir mão desde já e poupar-nos anos de sofrimento desnecessário? Se queremos limitar ao máximo o sofrimento causado pelo outro, devemos ter uma postura completamente diferente. “Queres que eu sofra com o que me disseste/fizeste? Pois não te vou fazer a vontade!”

Não é preciso outra vingança.

This Post Has 5 Comments

  1. Roberta

    Olá, Tsering. Tenho acompanhado seu blog cá do outro lado ao Atlântico, no Rio de Janeiro. Tens me inspirado e proporcionado momentos importantes de reflexão nesse que é um período muito difícil da minha vida, e eu só gostaria de dizer obrigada pelas suas palavras. Muito obrigada por dividir suas palavras conosco. Abraços, Roberta

    1. tsering

      De nada Roberta, é uma forma de pensar em voz alta. E se pode ser útil ainda melhor. 🙂

  2. shantinha

    oi!
    é, todos somos bons até sermos desafiados, o difícil é continuar sendo depois!
    adoro te ler! êpa, será que isso é apego?!

  3. Eliane

    Olá, Tsering
    Como você foi feliz em expressar esse ego ‘preguento’ dentro de nós!
    Obrigada…

Deixe uma resposta