You are currently viewing Sr Ego T2 ep.9 – Quer ser original?

Sr Ego T2 ep.9 – Quer ser original?

Os textos tradicionais dizem: todo o sofrimento deste mundo vem de acarinharmos o ego e toda a felicidade vem de acarinharmos os outros. Eu sei que soa um pouco “démodé”. É um tipo de discurso que não abre telejornais pela boa razão de que não é mote das reuniões da comissão europeia, nem parece ter nada a ver com a crise (embora tenha absolutamente tudo a ver).

Não sei se já realmente ponderou a questão. Se se aventurou para além do óbvio e da sensação difusa de estar perante um ensinamento espiritual, eventualmente “religioso” – coisas para as quais há cada vez menos tempo na nossa vida. “Sim, sim… dizemos nós. Claro! Mas eu não tenho tempo para isso. Não é aplicável à minha vida de todos os dias. Isso é bom para quem vive num mosteiro, rodeado de pessoas boas, longe de toda a rivalidade e torpeza do mundo de hoje.” E já se questionou sobre de onde vem a rivalidade e a torpeza do mundo de hoje? Onde nascem todas as reações e aberrações a que assistimos quotidianamente e que fazem deste mundo um sítio tão desconfortável? E sobretudo que, ao reagir da mesma forma ou pelo menos não reagir de forma diferente, está a pactuar com esse estado de coisas?

E para fazer aqui um parêntesis sobre o assunto que domina – esse sim – os telejornais, ouvia um comentador no outro dia dizer que se a Sra. Merkel e o Sr. Sarkozy tivessem liderado a união europeia de forma a não velarem apenas pelos seus interesses – que nem sequer são concomitantes com os interesses dos seus respectivos países! – a Europa não teria de enfrentar a crise que a coloca agora à beira da rutura. Que novidade! Que extraordinário insight!

Acredito que, se me está a ler, faz parte daquelas pessoas um pouco mais despertas que gostariam de fazer alguma coisa para tornar este planeta um mundo melhor. Às vezes pensamos que, para isso, temos de fazer algo “em grande”, salvar milhares de pessoas, encontrar a cura para a SIDA, ser bombeiro voluntário e que, não podendo fazer nada disso, só nos resta ficar quietos e seguir a manada, tentando sobreviver o melhor possível.

Não podia estar mais enganado. Pode fazer uma coisa realmente poderosa e revolucionária –parar de acarinhar o ego e começar a acarinhar os outros. Isso sim é ir contra a corrente! Pensa que oferecer o peito às balas é corajoso? Experimente despir-se dos invólucros que acha que o protegem dos “ataques” e do egoísmo alheios e aplique o método revolucionário de acarinhar os outros.

Eu sei que tem milhares de objeções. É por isso que é bom olhar para os que praticam esse método e ver que no se transformaram. Têm um ar miserável e infeliz? Parece que toda a gente se aproveita deles? Ou serão uma inspiração para a humanidade, um verdadeiro farol na noite escura da nossa confusão?

Medite nisto um bocadinho.

This Post Has 5 Comments

  1. Roberta

    Esse texto é de uma delicadeza… obrigada, tsering, novamente.

  2. Ana

    Texto muito oportuno e original.Grata.

  3. Estou a ler neste momento o livro de Tolstoy, “The Kingdom of God is Within You”, que serviu de inspiração directa a Gandhi. O livro propõe que o verdadeiro ensinamento cristão resume-se ao Sermão da Montanha – “não resistei ao mal”, “oferecei a outra face”, “fazei aos outros como quereis que vos façam a vós”.

    Tolstoy nota que no tempo dele e antes, já a sociedade “civilizada” desdenhava de uma interpretação literal destes ensinamentos, considerando que não se aplicava à sociedade moderna. Mas Gandhi usou-os e libertou uma nação enorme, a Índia, no nosso tempo !

  4. Que texto bonito Tsering. Se não se importar, far-lhe-ei referência amanhã que comemoramos o “Dia da Gentileza”. Grata por tudo o que nos oferece.
    Teresa

  5. Alicia Pema Kon

    Subscrevo as opiniões emitidas, Tsering Paldron! Feliz por ter a Bênção dos Seus Ensinamentos =0 Até breve!

Responder a Roberta Cancelar resposta